Páginas

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Não há nada



Não há nada para ser dito, escrito, rabiscado.
Não tem mais o que ser feito.
Hoje a saudade, a lembrança dos momentos, das atitudes, das palavras, são presenças apenas no pensamento..
A saudade e o amor, foram o que restou desse tempo, em que foi o melhor da minha vida.
E quando a saudade e o amor, batem forte, os olhos acabam por mostrar, tudo o que a gente tenta segurar por dentro mas que chega em uma hora que não dá. E então, os olhos transbordam e as lágrimas caem e então, não tem mais nada a se fazer...

Um comentário: