Páginas

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A dor

“Acho que não precisava ser assim. É tudo tão forte, tão profundo, tão bonito, não precisava doer como dói. Eu não podia apenas sorrir quando me lembrasse de você? Mas acontece tipo assim: lembro do seu rosto, do seu abraço, do seu cheiro, do seu olhar, do seu beijo e começo a sorrir, é assim mesmo, automático, como se tivesse uma parte do meu cérebro que me fizesse por um instante a pessoa mais feliz do mundo, mas que só você, de algum modo, fosse capaz de ativar. Eu sei, é lindo. Mas logo em seguida, quando penso em quão longe você está sinto-me despedaçar por inteiro. Sabe a sensação de arrancar um doce de uma criança? Pois é, sou essa criança. E dói. Dói por saber também, que você pensa coisas de mim que não são verdade. Dói, porque não tem nada que posso fazer. Dói porque sofro sozinho e calado sem nem saber se um dia nos veremos. Dói porque a cada dia que passa nos distanciamos mais e ficamos cada vez mais longe. Dói porque o tempo pode tornar isso tudo tarde demais. Uma dor cujo único remédio é a sua presença. Então sigo assim, penso em você, sorrio, sofro e rezo, peço pra Deus cuidar da gente, amenizar essa dor e trazer logo a minha cura.”
Caio Fernando Abreu e DonCarioca

2 comentários:

  1. Sabe...o amor não causa a dor,pois o amor é a cura !;)
    A dor é causada pela ausência,pela saudade,pela falta...e o amor quando chega,cura tudo isso!

    ResponderExcluir
  2. A dor do amor doi, mais no fundo é uma dor boa, porque a gente sabe que lá no fundo tem a esperança de voltar, pois o amor é lindo, não morre, não machuca ele é vida.

    ResponderExcluir