Páginas

sábado, 9 de julho de 2011

Diário de um certo alguém



Diário de um certo alguém.

Apesar do que havia acontecido, ele seguia em frente. Só que algo aconteceu e fez com que ele se incomodasse. Ele estava inquieto. E veio o fim de semana. Fim de semana era algo em que ele gostava, pois faria coisas que lhe faz bem e relaxaria.
Ele tinha uma família ótima, além de amigos que sempre ficaram do seu lado. E ele sempre deu valor a isso. Mais algo o incomodava a ponto de querer ficar quieto.
Então, logo pela manhã, sua irmã foi ao seu quarto lhe chamar para ir a praia. Ao entrar, encontrou o quarto arrumado e uma carta.

" Estou indo sumir por uns dias. Volto no final do fim de semana." 

Sua irmã já imaginava o que poderia ser. E na hora de sair, viu um papel amassado, jogado no canto do quarto. E dizia o seguinte: 

"Você é muito mais do que uma simples namorada. Você é a minha melhor amiga, minha companheira, além de ser a pessoa que amo. E hoje, sinto falta da minha melhor amiga, daquela que me escuta, que me dá conselho e que me põe pra cima."

Sempre se tem as pessoas na qual podemos falar o que queremos e aquelas em que temos que pensar no que falar. A sua família e amigos, ele sabia que podia falar o que quisesse. 
Mas com ela é diferente. Ele se sente a vontade. Ele não mede palavras, ele abre seu coração e é como se fosse uma conversa entre dois amigos que se conhecem a séculos. Ele sabia que não teria isso. E nada iria mudar.

3 comentários:

  1. O que é teu, chega com o tempo. E o que não é, se vai com ele.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do teu texto. Você escreve muito bem.

    ResponderExcluir
  3. A confiança da cumplicidade completa as lacunas magicamente afagadas pelo amor da amizade!

    ResponderExcluir