Páginas

segunda-feira, 22 de março de 2010

Você...


Queria fazer um poema
sem tema ou reflexão
que falasse de saudade
com verbo irregular ou não.
Queria dizer o que sinto
sem brigar com os pronomes
sem rimar um palavrão
com sujeito da oração.
Onde o predicado fosse
nada mais que amar alguém
e amar pudesse ser
um verbo de ligação
entre o mundo, eu e você.

Um poema e nada mais...

Só para eu lhe oferecer.

Um comentário: